Inteligencia-artificial-Principais-tecnologias-e-aplicacoes-da-IA-nas-empresas-Imagem-de-Destaque-3.png

Inteligência artificial : Principais tecnologias e aplicações da IA nas empresas

Inteligência artificial : Principais tecnologias e aplicações da IA nas empresas

Por: comunicacao

Há muito tempo a Inteligência artificial deixou de ser um assunto de ficção e passou a ser realidade dentro das empresas. Segundo pesquisa divulgada pela Tata Consultancy Services, 84% das empresas consideram o uso de Inteligência artificial um item essencial para a competitividade e mais de 50% vê a tecnologia como transformadora.

Essa tecnologia se tornou tão importante para as empresas porque permite que as máquinas aprendam com experiências e realizem tarefas que antes eram realizadas por humanos. Por exemplo, a IA automatiza a aprendizagem repetitiva e a descoberta a partir dos dados; analisa mais dados, em maior profundidade; atinge uma precisão que antigamente era impossível, entre tantos outros benefícios.

Mas, engana-se quem pensa que a inteligência artificial está ligada somente aos robôs hipercomplexos que jogam xadrez ou fazem pesquisas. Atualmente as aplicações de IA estão presentes no dia a dia da maioria das pessoas, como as assistentes virtuais Siri e Alexa; nas recomendações feitas pelos serviços de streaming, a partir dos conteúdos que você consome; nas rotas indicadas pelo GPS e em inúmeras outras ferramentas, que você nem imagina.

De acordo com relatório do “MIT Sloan Management Review”, em 2020 o investimento em IA ultrapassou USD 50 bilhões e, até 2024, essa cifra pode chegar a USD 110 bilhões. Os números mostram que todos os setores da economia se beneficiam dessa tecnologia, e não somente a indústria. 

Entretanto, é preciso lembrar que não basta investir aleatoriamente, sem um planejamento e estudo de mercado. Encontrar parceiros que te ajudem na jornada de transformação digital é um desafio, mas quando a ocorre sinergia, os resultados são surpreendentes. 

Foi isso que aconteceu com a Globo, que precisou modernizar a forma de recebimento dos vídeos publicitários. O projeto com a Samba possibilitou mais agilidade e vantagem competitiva em relação aos veículos 100% digitais. 

Quer saber mais sobre o assunto, confira aqui o material.

Case Globo Samba Digital

Conceito de Inteligência Artificial

Segundo o dicionário Aurélio, a inteligência artificial é um 

“ramo de pesquisa da Ciência da Computação que tem como objetivo desenvolver tecnologias que simulem a inteligência humana, como raciocínio, aprendizagem, linguagem, inferência e criatividade. Mecanismo, software ou outro artefato produzido pelo homem que exibe uma inteligência similar à humana.”

Podemos dizer que trata-se de uma tecnologia formada por diversos outros avanços, como redes neurais, algoritmos, sistemas de aprendizado, entre outros, que simulam a capacidade humana relacionada com o raciocínio e tomada de decisão.

Além disso, a IA tem como objetivo o desenvolvimento de máquinas autônomas, utilizando técnicas de robótica, machine learning e reconhecimento de voz.

Surgimento da Inteligência Artificial

Parece fora da realidade, mas a ideia de uma inteligência não humana, que fosse capaz de pensar por conta própria surgiu, aproximadamente, em  300 a.C. Isso mesmo, você não leu errado! Existem estudos que mostram que Aristóteles pensava em como livrar os escravos de suas tarefas, já que ele percebia que era totalmente errado o domínio de outro ser humano.

Mas foi na década de 1950 que a IA teve um grande avanço para se transformar no que conhecemos hoje. No início, tarefas como a resolução de problemas e métodos simbólicos eram o foco. Na sequência, o Departamento de Defesa dos EUA se interessou por este tipo de tecnologia e começou a treinar computadores para imitar o raciocínio humano básico. Mas foi só em 2003 que o primeiro assistente pessoal foi criado, muito antes de conhecermos a Alexa. 

A ideia, nos primeiros estudos, era encontrar uma maneira de reproduzir o raciocínio humano. Porém, com a popularização deste ramo da ciência, muitos estudiosos passaram a tentar reproduzir não somente a inteligência, mas também a capacidade de sentir, criatividade e uso da linguagem.

Um dos principais fatores responsáveis pela evolução da Inteligência Artificial, sem dúvidas, foi a quarta revolução industrial (o que conhecemos por Indústria 4.0). A IA permite que os robôs aprendam com as atividades realizadas e, assim, aprimorem as suas habilidades.Todo esse processo contribui para que as fábricas se tornem mais autônomas e produtivas.

O processo de transformação Digital também depende muito do desenvolvimento das aplicações de IA, pois conta com o desenvolvimento de algoritmos certeiros; dão agilidade ao atendimento ao cliente e podem reduzir em até 70% os custos das empresas, gerando maior produtividade.

Tecnologias responsáveis pela IA

Como citamos anteriormente, existem algumas tecnologias que possibilitam que exista a inteligência artificial como conhecemos hoje. Adiante, vamos entender melhor quais são e como essas técnicas funcionam.

Machine Learning

O machine learning (aprendizado de máquina, em português) é baseado na criação de sistemas que aprendem com dados. A partir disso, eles podem tomar decisões, encontrar padrões, aprender e gerar saídas ou oportunidades, com pouca interferência humana,

Todas essas características são fundamentais para realizar e aperfeiçoar a realização de uma atividade ao longo do tempo.

Deep Learning

Deep learning é um tipo de aprendizado de máquina que prepara computadores para realizar tarefas como seres humanos. Entre as principais habilidades estão o reconhecimento de fala, identificação de imagens e previsões. 

Ele também é uma das bases da inteligência artificial, já que suas técnicas têm melhorado a forma como os computadores compreendem as informações.

Atualmente o deep learning tem sido utilizado para classificar imagens, reconhecer fala, detectar objetos e descrever conteúdo. Sistemas como a Siri são parcialmente alimentados por essa tecnologia.

Processamento de Linguagem Natural

Trata-se de uma ferramenta da inteligência artificial que contribui para que os computadores entendam, interpretem e manipulem a linguagem humana. A tecnologia é fruto de disciplinas como ciência da computação e linguística computacional. Ou seja, o PNL é o responsável pelos assistentes virtuais entenderem o que você diz e responder com voz que simula a de uma pessoa.

O PNL auxilia computadores a se comunicar com humanos em sua própria linguagem e possibilita que essas máquinas leiam textos, ouçam e interpretem falas, identifiquem sentimentos e determinem quais trechos são importantes. Isso ocorre de maneira consistente e imparcial.

Visão Computacional

Enquanto o PNL auxilia na comunicação por voz, a Visão computacional treina os computadores para compreender e interpretar o visual. Essa tecnologia utiliza imagens digitais de câmeras e vídeos para identificar e classificar objetos com precisão e reagir a esses estímulos. Uma das aplicações mais conhecidas da visão computacional é o reconhecimento facial.

O surgimento da visão computacional surgiu em meados de 1950, com o uso de algumas das primeiras redes neurais para classificar objetos em categorias como círculos e quadrados. Já nos anos 1990, grandes volumes de imagens foram disponibilizados online e o desenvolvimento de programas de reconhecimento facial explodiu. 

Atualmente, inúmeros fatores convergiram para reanimar as pesquisas em visão computacional.

Aplicação da IA no mundo dos negócios

É consenso no mercado que a inteligência artificial contribui com três grandes benefícios para qualquer tipo de projeto: redução de erros, redução de custos e, consequentemente, aumento dos lucros. Isso fez com que a tecnologia, que a princípio seria utilizada somente na indústria, ganhasse popularidade e fosse inserida em diversos setores. Os principais são:

Indústria

Um dos principais objetivos do uso de IA na indústria é a criação de fábricas mais seguras e ágeis, evitando também acidentes de trabalho. Isso porque as máquinas conseguem trabalhar em condições que não seriam suportáveis para humanos. Bons exemplos são câmaras de resfriamento, processos químicos e até mesmo materiais explosivos.

A IA também pode atuar em busca de melhorias no processo de produção e eliminação de gargalos, evitando desperdício de tempo e recursos. Além do trabalho com alertas de segurança ou lembretes de manutenção no maquinário, já com indicações do que deve ser realizado para a correção do problema. 

Atendimento ao cliente

Com certeza você já abriu um chamado em alguma empresa e foi atendido por um chatbot. Mas você sabia que esses robôs funcionam a partir de inteligência artificial?

Utilizar de IA é uma das melhores formas para escalar o atendimento e melhorar a experiência do cliente. Ela também  oferece vantagens como o suporte 24 horas por dia, nos 7 dias da semana, por meio de canais com os quais estão acostumados a lidar, como o WhatsApp, por exemplo.

Uma pesquisa da Zendesk confirmou que 35% das pessoas preferem uma resposta instantânea de um bot do que uma resposta demorada de um agente. Ou seja, investir em chatbots tem sido um caminho com retorno muito positivo para as organizações.

Comunicação e marketing

O marketing digital, há alguns anos, tem representado um dos principais canais de aquisição dos clientes, principalmente com o crescimento e democratização do acesso à informação. 

A inteligência artificial está auxiliando as equipes na construção do ideal customer profile (ICP, ou perfil do cliente ideal, em português). A tecnologia usa dados das vendas realizadas e constrói esse perfil, indicando quais leads têm maior potencial de se tornar um cliente.

Outra aplicação muito utilizada é para a criação de anúncios publicitários. A Inteligência Artificial auxilia na personalização dessas campanhas, utilizando dados do comportamento do usuário, como sites acessados, cliques realizados e etc.

Segurança da informação

Você deve concordar que um dos assuntos mais comentados no mundo dos negócios é sobre segurança da informação e privacidade de dados, principalmente com a chegada da LGPD. O interessante aqui é que a inteligência artificial pode auxiliar em diversas iniciativas desse segmento.

Podemos citar, por exemplo, ferramentas que unificam IA e segurança da informação, gerando análises para a proteção de dados; sistemas para identificar potenciais riscos para infraestrutura física; e sistemas para facilitar e gerenciar iniciativas de compliance.

Varejo

Sem dúvidas, players que utilizam de tecnologia no varejo possuem um diferencial competitivo na hora de conquistar a preferência do consumidor. E não estou falando somente das ações de marketing, como já comentamos acima, mas em todas as etapas da da cadeia produtiva.

Por exemplo, a inteligência artificial proporciona uma das novas ferramentas para otimização e controle de estoque. Ela utiliza de visão computacional para controlar a  quantidade de mercadorias em estoque. Câmeras dotadas com esse recurso conseguem identificar quando um produto acaba e enviam avisos ao setor de compras sobre a necessidade de reposição.

O poder de previsibilidade da IA também é muito benéfico para os varejistas, já que é possível apontar padrões de consumo e identificar a forma mais adequada de abordar cada tipo de perfil de cliente. Parece até coisa de outro mundo, não é mesmo?!

Desafios na implantação da inteligência artificial

Já falamos dos inúmeros benefícios que a inteligência artificial traz para os negócios, entretanto a implantação desses projetos é repleta de desafios e, em alguns casos, chega a falhar.

Segundo pesquisa da IDC, somente 30% das empresas relatam uma taxa de sucesso de 90% para os seus projetos de inteligência artificial, enquanto a maioria apresenta taxa de falha entre 10% e 49%.

Muitos motivos podem ser responsáveis por este cenário, mas ainda de acordo com o levantamento da IDC, os empreendedores acreditam que os principais são:

  • Falta de profissionais qualificados;
  • Expectativas irrealistas sobre as aplicações da tecnologia;
  • Escassez de dados;
  • Falta de informações para treinar os sistemas;
  • Integração dos dados;
  • Dados não estruturais;
  • e desafios culturais.

Para vencer esses desafios é preciso alinhamento e engajamento de todos os envolvidos no projeto. Além disso, planejar e entender o objetivo a longo prazo para aquela ação pode prever inúmeros riscos.

Agora que você já conheceu tantos aspectos da inteligência artificial, é fundamental não deixar que os desafios adie ou cancele o comprometimento da sua organização com a transformação digital e todas as tecnologias que facilitam esse processo. É preciso ter em mente que os resultados surgem a longo prazo, mas as iniciativas para garantir mais eficiência e agilidade não podem esperar.

Caso você queira dar o próximo passo na sua jornada de transformação digital, mas não sabe como fazer, fale com um dos nossos especialistas agora mesmo, clique aqui e aguarde o nosso contato!